quinta-feira, 12 de junho de 2008

Pra ti, meu eterno namorado...




"Nós"


Eu e tu: a existência repartida
Por duas almas; duas almas numa
Só existência. Tu e eu: a vida
De duas vidas que uma só resuma.
.
Vida de dois, em cada um vivida,
Vida de um só vivida em dois; em suma:
A essência unida à essência, sem que alguma
Perca o ser una, sendo à outra unida.
.
Duplo egoísmo altruísta, a cujo enlevo
No próprio coração cada qual sente
A chama que em si nutre o incêndio alheio.
.
Ó mistério do amor onipotente,
Que eternamente eu viva no teu seio,
E vivas no meu seio eternamente.


(Silva Ramos)

terça-feira, 10 de junho de 2008

As duas flores



São duas flores unidas,
São duas rosas nascidas
Talvez no mesmo arrebol,
Vivendo no mesmo galho,
Da mesma gota de orvalho,
Do mesmo raio de sol.


Unidas, bem como as penas
Das duas asas pequenas
De um passarinho do céu...
Como um casal de rolinhas,
Como a tribo de andorinhas
Da tarde no frouxo véu.


Unidas, bem como os prantos,
Que em parelha descem tantos
Das profundezas do olhar...
Como o suspiro e o desgosto,
Como as covinhas do rosto,
Como as estrelas do mar.


Unidas... Ai quem pudera
Numa eterna primavera
Viver, qual vive esta flor.
Juntar as rosas da vida
Na rama verde e florida,
Na verde rama do amor!




(Castro Alves)



Porque assim me sinto junto a ti, querido e amado esposo, num amplexo divino de ternura, companheirismo e dedicação...

Hoje, que nossa história atinge o primeiro de muitos anos de felicidade, dedico-te um poema de Castro Alves, doando-te todo o esplendor de um canto de amor, que manifesta da natureza a mais bela imagem de união e recíproca vivência!

E porque o nosso amor de hoje conserva-se tão puro e radiante quanto o foi no início, digo-te, sem medo de estar errada, que vivo com a impressão de que sempre te amei...

E qual a motivação para a sugestiva pintura de Botticelli? ... A de que seja sempre primavera no jardim de nossas vidas :)