terça-feira, 10 de junho de 2008

As duas flores



São duas flores unidas,
São duas rosas nascidas
Talvez no mesmo arrebol,
Vivendo no mesmo galho,
Da mesma gota de orvalho,
Do mesmo raio de sol.


Unidas, bem como as penas
Das duas asas pequenas
De um passarinho do céu...
Como um casal de rolinhas,
Como a tribo de andorinhas
Da tarde no frouxo véu.


Unidas, bem como os prantos,
Que em parelha descem tantos
Das profundezas do olhar...
Como o suspiro e o desgosto,
Como as covinhas do rosto,
Como as estrelas do mar.


Unidas... Ai quem pudera
Numa eterna primavera
Viver, qual vive esta flor.
Juntar as rosas da vida
Na rama verde e florida,
Na verde rama do amor!




(Castro Alves)



Porque assim me sinto junto a ti, querido e amado esposo, num amplexo divino de ternura, companheirismo e dedicação...

Hoje, que nossa história atinge o primeiro de muitos anos de felicidade, dedico-te um poema de Castro Alves, doando-te todo o esplendor de um canto de amor, que manifesta da natureza a mais bela imagem de união e recíproca vivência!

E porque o nosso amor de hoje conserva-se tão puro e radiante quanto o foi no início, digo-te, sem medo de estar errada, que vivo com a impressão de que sempre te amei...

E qual a motivação para a sugestiva pintura de Botticelli? ... A de que seja sempre primavera no jardim de nossas vidas :)

Um comentário:

Orfeu disse...

Há um ano, esposa amada, vinhas nas nuvens,
Sobre o mar azul, trazendo por única bagagem
Uma nova esperança, a renúncia d´outros bens,
A escolha do amor sonhado, essa divina viagem

Que nem sempre fazemos com a pessoa certa!
Mas tu soubeste arriscar de novo, e eu, amanhã,
Bem cedinho, recordarei uma manhã desperta,
Em que, num aeroporto, provado foi que a maçã

Não foi a causa de mal algum, que a Eva ao Adão
Só quis bem, e que no inicio não houve pecado…
Depois, sim, enganos e condução em contra-mão

Houve muitos, mas amanhã e d´um ano passado,
Nós somos de novo a plenitude do coração
Que faz do ser humano um deus realizado!

***

E porque te amo, querida, e amei a escolha do poema que para mim colocaste em teu blog,
como amo tudo que me deste e dás continuamente, espontanea e generosa como só tu sabes ser :)