terça-feira, 7 de agosto de 2007

O Ballet


Danço,
Não apenas por dançar,
Mas por sentir em cada partícula de meu corpo
As notas de uma música que nunca pára;
Uma música que surge dentro de mim
cada vez que eu penso em dança.

Meu corpo ganha uma via exuberante,
Um brilho que nenhum ser humano tem,
Minhas mãos falam várias línguas,
Que todos conseguem entender.

Meus pés ganham vida como se dançassem sós,
Meu corpo grita,
todas as palavras do meu espírito,
Como se nunca tivesse falado.

Isso é dançar,
Isso é viver a dança,
E sentí-la cada vez mais.

Isso é apenas dançar...

10 comentários:

Orfeu disse...

Danças para mim...?? :D
beijinhos com amor feliz

Angélica disse...

Claro que sim, querido, nem precisavas perguntar... ;)

Baci con amore!!

Poemas e encantos disse...

olá Angélica.
Lindo blog.
Agradeço sua palavras no Poemas e Encantos. Fico feliz por saber que o Consolador anda em terras dos meus antepassados. E por falar nisso como funciona o Kardecismo nessa terra?
Um abraço fraternal.

Angélica disse...

Obrigada pela visita tb! :)

Pelo que pude perceber em Portugal, a DE inicia um movimento mais voltado para a caridade e o serviço voluntário, graças a exemplos como Chico Xavier, no entanto, a Europa, de um modo geral, mantem-se limitada à parte científica, deixando a religião e a filosofia um pouco distanciadas.

Muitos centros em Portugal contam com colaboradores brasileiros... :)

Abraços fraternos!

Jackeline disse...

Saudações de luz e paz!!! Parei de fazer ballet quando ia receber o meu diploma, na prova final... Fui egoísta e desperdicei anos de dedicação, tanto daqui da Terra, quanto da espiritualidade. Hoje passados 18 anos e eu com 42 voltei pra resgatar meu diploma. Está sendo muito difícil, mas sei que vou conseguir vencer as dores e enfim seguir a dança até o fim...
Abraço de luz e paz!!!
Jackeline

Amanda disse...

Nada melhor na vida que dançar.
Melhor ainda é gostar e poder dançar !
Fiz ballet. Modestia parte, danço muito bem, mas hoje não faço mais ballet, porque minha tem medo de que eu queira seguir esse caminho na minha vida profissional.
Sinto muita falta. Até das distenções e dos pés doloridos.

Não há nada mais sutil que viver na ponta dos pés. Como não posso, SONHO e sigo.

DANCEM !

Anônimo disse...

de quem é o poema? podem dizer-me por favor

Anônimo disse...

de quem é o poema?

Anônimo disse...

podem dizer-me quem é o outro por favor?

Angélica disse...

Lamento, não sei a autoria.
Abç